Em Destaque Família & Relacionamentos

Seu marido não ajuda? Como levar o marido a ajudar em casa e na vida

Na maioria dos grupos de maternidade nos quais faço parte ou modero, sempre rola o mesmo tópico, é quase um ritual materno. Que é reclamar do parceiro, falar que ele não “ajuda”, que é tão difícil trabalhar/estudar e cuidar da casa e criança e como o relacionamento está de mal a pior. Parece ser muito comum o tópico de que “marido não ajuda”.

 

Marido não ajuda – vamos por partes?

Não sei quanto a vocês, mas quando eu engravidei e principalmente depois que a Beatriz nasceu me deu um tilt sabe? Aquela coisa de não ter olhos para mais nada, não querer saber mais nada da vida além de ficar ali olhando meu bebêzinho. Afinal, não é todo dia que deixamos de ser qualquer coisa que se foi para ganhar o adjetivo: MÃE.

Entendam que o mesmo processo acontece também com o homem.
Demora um pouquinho para entendermos o que aconteceu, e principalmente, para entendermos nossa nova responsabilidade.

 

“Meu marido não ajuda!”

O primeiro passo é entender que seu marido não tem de te ajudar com a casa e com os filhos. Ele tem de fazer! Porque quem ajuda é pai, amigo, vizinho.

Quem mora em uma casa tem responsabilidade de cuidar, limpar e zelar por ela. Independente de ser homem ou mulher.

Quando a gente engravida, não engravidamos sozinhas, ali teve a ajuda de um homem certo? Então amiga, o filho não é só seu! Não é só você que tem de limpar fralda suja, não é só você que tem de ser presente, que tem de educar, brigar, colocar de castigo e fazer comer.

A responsabilidade é dos dois!

 

“Meu marido é tão bonzinho, até troca fralda!”

Como disse, ele não está fazendo mais do que a obrigação dele como pai. É muito injusto a gente ficar com a maior parcela de criação de um filho só por sermos mulheres. Isso não é certo. O homem tem a MESMA responsabilidade e obrigações do que nós mulheres.

Sei que é complicado e que muitas vezes não há o que se fazer. Por exemplo, amamentar de madrugada é algo que nunca vi o porque do pai da Beatriz estar junto, já que era uma atividade solitária, era um momento meu e eu gostava disso.

Porém SE VOCÊ sentir a necessidade do pai estar ali presente, não hesite. É obrigação dele sim acordar pela madrugada para cuidar do filho.

 

Marido não ajuda – Como mudar isso:

Vivemos em uma cultura machista. Crescemos vendo todo esse comportamento passar de geração para geração e claro, achamos tudo isso normal. Afinal, sempre foi assim não é mesmo? Mas não é. “O meu marido não ajuda” não pode ser uma coisa normal!

Imagina só que crescemos brincando de boneca e com nossos irmãos ou amigos brincando de carrinho. Já crescemos diretamente ou indiretamente com as nossas ” funções” pré definidas. A mulher cuida dos filhos, o marido sai por aí, trabalha fora, é o provedor!
Então imagina mudar todo esse comportamento? Sim é difícil, é complicado, mas é necessário.

homem e mulher casal jovem lavando a loiça em conjunto com sorriso de felicidade na cara cooperação

Creio que o primeiro passo é mudar o nosso comportamento. Porque assim como os homens, também fomos criadas em uma cultura machista. A questão de ter de servir o marido.

A questão de “quer ser independente e trabalhar fora? então aguenta tudo sozinha”. A mulher que opta por trabalhar fora, acaba ficando com dupla ou até mesmo tripla jornada. Enquanto o homem que trabalha fora só tem aquela função.

Se ele chega em casa e fica no sofá a sociedade não o cobrará por isso. A sociedade pensa que é normal o marido não ajudar nas tarefas de casa. Mas experimente fazer o mesmo depois de um dia de trabalho. Você será julgada como péssima dona de casa, péssima mãe, péssima mulher.

Nós precisamos entender que independente da escolha da mulher, se foi trabalhar fora ou ficar em casa, em ambos os casos SÃO cansativos e absurdamente desgastantes, se engana quem pensa que quem fica em casa não faz nada.

E que só porque a pessoa fica em casa a maior parte dos serviços com a casa teria de ser dela. A responsabilidade da casa é de todos que vivem nela. 

Então precisamos entender primeiro isso. Ver como estamos reproduzindo esse machismo.  Combater isso primeiro. Parar de falar que fulano não ajuda, ou que fulano ajuda trocando até fralda. Entender que marido e/ou pai do seu filho não tem de ajudar e sim fazer. Pois é responsabilidade e não favor. 

Temos de entender também que nós fomos ” adestradas” desde pequena para sermos mães. Não é instinto. É construção social.

Desde pequenas brincando com bonecas e que sim as mães sempre pegam mais no pé das filhas, para aprender a arrumar, cuidar, etc.
E gente a parte mais difícil: ensinar.

Explicar mil vezes como troca uma fralda. Acho que se quando a Bia nasceu alguém tivesse a paciência de ME ENSINAR teria sido tudo muito mais fácil para mim, então… imagina para um homem? Que é visto por ai como ” não tem obrigação de aprender/fazer” ?

Nós mães temos uma péssima mania de achar que só nós sabemos fazer, sabemos cuidar e poderemos proteger nossos filhos. Mas não é bem assim não. Entender que ele pode fazer de um jeito x e você de um jeito y e os dois estarão certos. Ensinar como se faz, e não ensinar como se faz do seu jeito.

E principalmente, ver que nós mães e pais temos a obrigação de criar filhos pronto para a vida. Independente de ser homem ou mulher. Cozinhar é para todos. Limpar uma casa também é.

Trocar fralda suja é obrigação tanto do homem quanto da mulher.
Ensinar seu menino a fazer um arroz, a limpar uma casa, é mais questão de sobrevivência do que de qualquer outra coisa.

E sim, isso também é feminismo. 

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Share This